7.13.2014

Nunca falámos muito


(acho que nunca falámos nada)

e não sinto necessidade de começar agora. O que lhe poderia dizer?
-existem séculos e séculos de silêncio entre nós e, debaixo dos séculos de silêncio,
ocultas lá no fundo, se calhar esquecidas, se calhar presentes, se calhar apagadas,
se calhar vivas e a doerem-me, coisas que prefiro não transformar em palavras, coisas anteriores às palavras (...)

António Lobo Antunes

Nenhum comentário:

Postar um comentário