7.13.2014


Deve haver um lugar onde um braço
E outro braço sejam mais que dois braços
Um ardor de folhas mordidas pela chuva,
A manhã perto nem que seja de rastos.

Eugénio de Andrade, in O peso da sombra 

Nenhum comentário:

Postar um comentário