2.21.2013

E de súbito desaba o silêncio.
É um silêncio sem ti,
sem álamos,
sem luas.
Só nas minhas mãos
ouço a música das tuas.

Eugénio de Andrade

Nenhum comentário:

Postar um comentário